Entenda a diferença entre caspa e dermatite seborreica

Ana Paula Cardoso
Coceira, irritação e descamação no couro cabeludo podem ser sinais de problema mais sério que caspa. Saiba como identificar a inflamação conhecida como dermatite seborreica

Dermatite seborreica pode apresentar descamação como a caspa, mas é uma doença de pele.


Entre os problemas com o cabelo, a caspa costuma ser um dos mais desconfortáveis. A descamação que teima em cair nos ombros e impede de usar roupas escuras ou mesmo os flocos que ficam entre os fios comprometem a estética e causam constrangimento. Mas nem sempre é exatamente caspa e sim uma inflamação no couro cabeludo conhecida como dermatite seborreica.

“A caspa e a dermatite seborreica não são a mesma coisa. A caspa é seca, a dermatite é úmida. A dermatite seborreica tem maior gravidade que a caspa e, em casos mais intensos, pode afetar não só o couro cabeludo, mas  também as sobrancelhas, o rosto (maçã do rosto), a barba, o nariz, a região atrás das orelhas, as costas, as dobras da pele e a região entre os seios”, explica dermatologista Inaê Cavalcanti Marcondes Machado, da DOM Medicina Personalizada.

A Dra. Inaê ressalta ainda que, na verdade, existem dois tipos de caspa: a caspa seca, formada por minúsculas películas que empoeiram o pescoço e os ombros e a caspa gordurosa, causada por escamas embebidas em sebo, aderentes ao couro cabeludo e à raiz dos cabelos. 

A caspa gordurosa acaba dificultando um pouco o diagnóstico da dermatite seborreica, porque essa descamação gordurosa pode ser intensificada pela inflamação da pele e não somente pelo acúmulo de gordura produzido pelas glândulas sebáceas do couro cabeludo. "A caspa é uma manifestação mínima da dermatite seborreica, embora possa provocar a queda de cabelo”, completa a médica.

Dermatite seborreica mais comum no calor

A inflamação é mais comum nos países tropicais do que em países mais frios e secos. Segundo a  dermatologista, estima-se que 80% da população brasileira apresente algum grau de dermatite seborreica ao longo do ano. Assim, ela aparece em temperaturas mais quentes, pois essas temperaturas favorecem a proliferação de fungos e aumentam a atividade das glândulas sebáceas no couro cabeludo. 

 A dermatite seborreica pode ser dividida em inflamatória, oleosa ou descamativa. Muitas vezes as três condições estão presentes. Quando há somente inflamação, o couro cabeludo fica um pouco mais avermelhado. Quando a doença é pela oleosidade, percebe-se, ao passar os dedos no couro cabeludo, que eles ficam com o aspecto brilhante ou mesmo um pouco mais engordurados. 

Já no caso do tipo descamativa, há a saída de casquinhas ou pequenos flocos do couro cabeludo, que podem ficar aderidos aos fios ou cair nas roupas, como no caso da caspa. "Para cada tipo diferente de dermatite seborreica há um tipo diferente de tratamento e por isso é preciso consultar um médico" afirma a Dra. Inaê.

Não existe cura para a doença, mas xampus especiais de combate à oleosidade são indicados para os pacientes que apresentam perda capilar associada à dermatite seborreica. Também cremes e pomadas à base de corticoides podem ser prescritos por dermatologistas em casos mais graves.

Copyright foto: iStock

Leia também:

Anúncio google

1 comentário

Conteúdo muito bom! Se alguém quiser saber mais sobre o cetoconazol (medicamento muito indicado para casos de caspa e outras doenças dermatológicas de origem fúngicas), escrevi um artigo sobre ele aqui: https://www.drentrega.com.br/bem-estar/dores-e-sintomas/cetoconazol-saiba-tudo-sobre-este-medicamento