Saiba mais sobre o lúpus, doença que afastou Selena Gomez dos palcos

Fernanda Lima
Efeitos colaterais da doença incluem ansiedade, depressão, dores articulares, inflamações pelo corpo, entre outros

Saiba mais sobre o lúpus, doença que fez Selena Gomez anunciar pausa na carreira.


A cantora pop Selena Gomez recentemente revelou que sofria de lúpus, uma doença autoimune. Ela se afastou dos palcos e cancelou toda a sua turnê alegando sofrer dos sintomas doença, como ansiedade e depressão. Mas essas não são os únicas manifestações do lúpus. Quem tem essa rara doença ainda enfrenta dores articulares fortes, artrite, inflamação no coração, no pulmão, queda de cabelo, aftas, entre outros.

Selena engrossa o grupo de 5 milhões de pessoas que têm lúpus no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). No Brasil, estima-se uma incidência da doença em torno de 8,7 casos para cada 100.000 pessoas todos os anos.

De acordo com a Dra. Tatiana Hasegawa, médica reumatologista do Centro de Qualidade de Vida (SP), o lúpus é uma doença crônica e autoinflamatória, capaz de inflamar todos os órgãos e tecidos como pele, olhos, coração, pulmões, tendões, músculos, fígado, rim, cérebro e vasos sanguíneos. 

Embora as causas do lúpus ainda sejam desconhecidas, a médica explica que a doença costuma atingir pessoas que sofrem de ansiedade e síndrome do pânico. Além disso, tem relação com genética, com o uso excessivo de determinados medicamentos e com exposição sol em excesso sem proteção necessária. A doença ainda se inicia, normalmente, em pacientes jovens, sendo 9 a 10 vezes mais frequente em mulheres, principalmente da etnia negra. 

Lúpus: como tratar?

Segundo Tatiana, o diagnóstico da doença é feito baseado na história clínica do paciente, analisando-se os sintomas que não melhoram, por exemplo. Além disso, alguns exames de sangue também são necessários. Já o tratamento, indica a médica, é feito com corticosteroides em doses altas, por via oral ou venosa. “Também associamos imunossupressores. O tratamento é contínuo, demorado e crônico, pois a doença não tem cura”, explica.

O tratamento é fundamental para prevenir que a doença avance. “O lúpus pode evoluir para quadros mais graves, como meningite, convulsão e até paralisia do rim”.  Embora sem cura, a médica explica que é possível conviver com a doença. “Se o tratamento for feito corretamente e precocemente, com o acompanhamento de um reumatologista” ressalta.

É possível prevenir o lúpus?

Infelizmente não. Mas em casos de pacientes que já têm a doença, é possível prevenir futuras crises. A sugestão da especialista é praticar exercícios físicos regularmente e tomar a medicação da maneira correta, seguindo a recomendação do médico.

Copyright foto: iStock

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto