Caxumba: vacina é a melhor forma de prevenção

Fernanda Lima

Esta doença se prolonga por cerca de duas semanas e pode ser transmitida pela troca de saliva e secreções

Saiba como se prevenir da caxumba com mudanças simples no dia a dia.

 

Febre, mal estar no corpo e dores nas regiões laterais da face podem ser sinais de caxumba, uma doença causada por um vírus que entra no corpo humano e consegue se proliferar, gerando uma infeção

De acordo com o otorrinolaringologista Jamal Azzam, esta infecção atinge as glândulas parótidas, que se encontram na frente e um pouco abaixo das orelhas, na porção lateral do rosto. São elas as responsáveis pela produção de saliva.

Como a caxumba é transmitida?

De acordo com o médico, a doença, mais comum em crianças, é transmitida pela troca de saliva, secreções respiratórias em tosses e espirros ou pelo contato com lágrimas de pessoas infectadas.

O médico também cita a falta de tempo da população para ir ao médico quanto têm sintomas como febres ou dores. "As pessoas continuam fazendo suas atividades. Muitas já estão com a doença e vão transmitindo para os outros", alerta.

"Associa-se à isso o fato de que as pessoas ficam cada vez mais em ambientes confinados, como em empresas que usam ar condicionado central e trabalham 100% do tempo com janelas fechadas", completa o especialista. 

Além dos sintomas já citados, a caxumba pode evoluir, causando um inchaço das glândulas salivares, próximas aos ouvidos, o que explica o seu nome popular: “papeira”. Também pode haver dores de barriga ou na região da bolsa escrotal, no caso dos homens. As dores podem então ser intensas e o inchaço pode até desfigurar o rosto da pessoa. 

Diagnóstico e o tratamento da caxumba

Segundo o Dr. Jamal, o diagnóstico da caxumba é principalmente clínico, observado através do histórico do paciente e de um exame físico minucioso. Também podem ser necessários alguns exames de sangue ou de imagem, como ultrassonografia, tomografia computadorizada ou ressonância nuclear magnética.

O tratamento, por sua vez, se baseia no repouso absoluto. "Deve-se manter a pessoa sempre hidratada e com uma alimentação balanceada e nutritiva", explica o médico.

Também é importante evitar alimentos ácidos, como café e laranja, pois eles aumentam a contração da cápsula das glândulas parótidas, ocasionando dores intensas. Podem ser prescritos analgésicos e anti-inflamatórios. Por enquanto ainda não existem nenhum antibiótico específico para o tratamento da caxumba.

O Dr. Jamal alerta para a importância do repouso e do tratamento correto. Apesar de ser uma situação rara, segundo ele, a caxumba pode evoluir para complicações graves, como a meningite ou pancreatite. Além disso, pode levar à infertilidade por inflamação nos ovários ou nos testículos.

Assim como a maioria das infecções virais, a doença é tratada naturalmente pelo organismo. "A maioria dos adultos e crianças se recupera da caxumba sem grandes complicações em duas semanas. Após a doença ser curada, a pessoa é considerada imune à caxumba", explica.

Prevenindo a caxumba

A melhor forma de prevenir a caxumba é seguir todas as orientações do calendário de vacinação recomendado pelo Ministério da Saúde. "A prevenção da caxumba pode e deve ser feita sempre com a vacina", explica o médico.

Em caso de suspeita de que alguém esteja com a doença, deve-se evitar o contato com as secreções respiratórias e a saliva destas pessoas, separando objetos como garfo, prato, copo e canudo.

 

Copyright foto: iStock

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto