Todo cuidado com o esporão no pé

Daniel Navas

O esporão no pé é caracterizado pela dor no calcâneo (parte de baixo do pé) e que merece todo o cuidado, principalmente no tratamento

Para prevenir o esporão no pé, é importante alongar o tendão de Aquiles © iStockphoto.com/Valengilda

 

Muitas pessoas começam a sentir dores nos pés e não sabem por que. Além da fascite plantar, outro problema é o esporão no pé, que surge devido ao acúmulo de cálcio no calcâneo (parte de baixo dos pés), formando uma espécie de caroço ósseo na região, o que causa muita dor, principalmente ao acordar e levantar da cama. 

“Os pés possuem uma estrutura chamada fáscia plantar, que une o calcâneo aos dedos. Quando ocorre um processo inflamatório neste local, surge, então, o esporão no pé. E em casos mais graves, a dor se estende pelo meio da planta do pé, impossibilitando o indivíduo, por exemplo, de usar calçados rasteiros”, explica Alberto Tesconi Croci, ortopedista da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo.

E o problema atinge, principalmente, pessoas acima do peso, já que gera uma sobrecarga nos pés. Pode acometer indivíduos com curva acentuada nos pés (o chamado pés cavos), por conta da sua rigidez local e por não conseguir absorver totalmente o impacto do peso, o que pode causar o encurtamento da fáscia plantar. 

“Além disso, indivíduos que apresentam os pés chatos (muito planos) também tendem a desenvolver esporão no pé pelo mesmo motivo: falta de absorção do peso corporal em contato com o solo”, esclarece Adriana Athias, fisiatra, especializada em acupuntura médica e dor crônica, do Rio de Janeiro.

De olho nos sintomas

Os sinais mais comuns do esporão no pé são as dores no calcâneo ou no calcanhar, que podem ser tão intensas a ponto de fazer o indivíduo mancar. “Este quadro clínico normalmente é mais intenso pela manhã, logo ao sair da cama”, indica Croci.

E para se chegar ao diagnóstico de esporão no pé, o especialista analisa o histórico familiar do cliente e, caso considere necessário, solicita exame de ultrassonografia e Raios X, para confirmar, inclusive, o tempo de evolução do problema. “Mas, geralmente, a radiografia ou ressonância magnética podem confirmar o diagnóstico”, completa Adriana.

É hora de tratar

A terapia para acabar com as dores causadas pelo esporão no pé envolve, geralmente, o uso de medicação analgésica e anti-inflamatória, além de repouso ou mesmo o uso de calçados com salto. 

“Também é recomendada a realização de fisioterapia, assim como o uso de gelo local e calor profundo. Com a melhoria da dor, inicia-se o alongamento do tendão do calcâneo (tendão de Aquiles)”, afirma o ortopedista. 

Há ainda a possibilidade do uso de outros tipos de palmilhas como a calcanheira de silicone, que amortece o impacto do calcanhar ao solo, ou mesmo o uso de palmilhas para aliviar a tensão sobre a fáscia plantar.

E fica o alerta: caso não siga o tratamento corretamente, pode haver o retorno da dor, além, é claro, de um novo período de terapia. 

Como prevenir o esporão

A fim de prevenir o problema, é importante que o indivíduo alongue o tendão de Aquiles sempre que for realizar exercícios físicos, controle o próprio peso, para diminuir o estresse sobre os pés, além de, sempre que possível, ande em terrenos mais regulares.

É bom saber também que o esporão no pé é dito como curado quando os sintomas desaparecem com o tratamento correto. “Não é a calcificação em si que dói, e sim o processo inflamatório presente no local. A pessoa pode, por exemplo, não se queixar de dor e, por meio do raio X, ainda ter o esporão”, afirma Alberto Croci.

O esporão no pé se manifestar novamente, caso o indivíduo ganhe sobrepeso, caminhe ou corra por longos períodos em terrenos irregulares ou use calçados mais planos, piorando o seu quadro clínico. Por isso, é importante tomar cuidado com esses elementos para que o problema não retorne.
 

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto