Amor platônico: entenda por que se alimenta um sentimento secreto

Ana Paula Cardoso
Especialista explica os motivos e as soluções para quem vive de amores platônicos

Amor platônico pode ser uma confusão de sentimento.


O amor platônico também pode ser compreendido como um amor impossível, difícil, não correspondido ou quando o primeiro encontro fica apenas no sonho. Mais comum do que se imagina, uma pessoa pode viver um sentimento em segredo, sem nunca tentar revelá-lo. Segundo especialistas, a principal motivação de se desejar alguém em segredo é o medo da rejeição caso este sentimento não seja correspondido. 

Mas também há quem cultive paixões secretas até pela impossibilidade de se concretizar. Principalmente quando o caso é de um amor considerado muito difícil de ser vivido. Isso ocorre quando se ama alguém casado, ou com diferença muito grande de idade - ou até mesmo um ídolo do rol das celebridades. A admiração à distância acaba embaralhando os sentimentos.

"Uma das confusões mais comuns em relação ao amor platônico é quando as pessoas, principalmente mais jovens, confundem a afeição por alguém como sendo algo mais profundo. Seja conscientemente ou não, é fácil confundir sentimentos de amor", explica a psicanalista e presidente do Instituto Vida Positiva, Diana Dahre. 

Admiração secreta

Exemplos clássicos são alunos confundirem esses sentimentos com os professoresSegundo a psicanálise, trata-se de uma transferência projetada em uma identificação simbólica. A admiração pelo conhecimento do outro, pela postura, pelo sucesso ou pelo saber, atrapalha a compreensão da diferença de sentimentos do admirador pelo admirado.

"As pessoas extremamente tímidas ou de baixa autoestima geralmente são as que se apaixonam sem se declarar", completa a especialista. Nos casos extremos de amor platônico, a pessoa pode até viver uma relação completa, com começo, meio e fim, sem nunca ter sequer falado com quem pelo qual nutre o sentimento.

Amor platônico, sentimento real

Mesmo cultivado apenas internamente, as nuances de vivência são semelhantes a de uma relação amorosa de verdade. E a 'ruptura' do amor platônico, seja após a declaração ou mesmo quando o admirado acaba entrando em outro relacionamento, os sentimentos de perda não diferem muito.

"Quando a dor desse amor é grande, semelhante à dor do fim de um relacionamento,  algumas pessoas se sentem mais aliviadas depois de se declararem. Já outras, arrependidas e até envergonhadas", diz Diana.

Mas de acordo com a  especialista, como diz o ditado, antes um fim doloroso do que uma dor sem fim. A recomendação é por fim à esta prática de amar de longe, sem a concretização - e nem mesmo a tentativa de concretização. 

O amor platônico só tem fim em duas situações: quando o admirador se declara ao objeto de amor amor platônico, ou quando finalmente consegue entrar numa relação real, mesmo que seja com alguém diferente daquele por quem nutria um sentimento secreto.

Copyright foto: iStock

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto