Saiba quais erros devem ser evitados após o fim do relacionamento

Ana Paula Cardoso

Especialistas dão dicas para passar pelo sofrimento sem perder a dignidade

Fim do relacionamento: sofrimento não pode ser desculpa para agir sem pensar. © iStockphoto.com/ Anetlanda


O namoro acabou? Nada de stalkear o ex ou fazer cenas de ciúme por ver a pessoa amada em outra companhia. Muito menos insistir para voltar, humilhando-se. Apesar de parecerem conselhos desnecessários de tão básicos, há muita gente que perde o controle na hora do fim do relacionamento. Mas para não perder a linha, especialistas são categóricos: respire fundo e pense nas consequências.

"Não é à toa que ficou célebre a frase de Shakespeare 'o amor tem razões que a própria razão desconhece'. É comum vermos o mais controlado dos mortais tomando atitudes intempestivas por não aceitar a rejeição", comenta a psicóloga Isabela Rosa.

O mais curioso é quando quem tomou a iniciativa do fim do relacionamento resolve se comportar como o inconformado. "Isso é clássico. Conheci muita gente que quis se separar, achando que o outro ficaria arrasado. Ao perceberem que o ex-companheiro ou companheira deu a volta por cima, descontrolam-se", completa a psicóloga e terapeuta de casal Helena Monteiro.

Fim do relacionamento não mata sentimento de posse

À luz da psicologia, a possessividade inerente à raça humana seria a principal causa dos arroubos emocionais que levam a atitudes impensadas no fim do relacionamento. Do ciúme à necessidade de controle, homens e mulheres transitam por um inconformismo capaz de agravar ainda mais o sofrimento.

Não importa quem tomou a iniciativa. O fim de um relacionamento deve ser um consenso, acatado pelos envolvidos na relação amorosa. "Muitos casais querem estender este processo de término. Alguns deixam para discutir a relação quando já se decidiu pelo fim. Porém, a aceitação é a melhor saída para evitar constrangimentos futuros", esclarece Helena Monteiro. 

O especialista em coaching de relacionamento e autor do livro Método Respeito, Caio Cesa, concorda com a psicóloga. Segundo o coaching, muitas vezes as pessoas agem errado porque ainda gostam do parceiro. Só que algumas atitudes acabam por piorar a situação.

"Existe até boas chances de retomar o romance após o término. Mas depende de como as pessoas se comportam", diz Cesa. Para o especialista, a pior atitude é não se controlar e acabar se colocando numa posição de "miserável", querendo despertar a comiseração do outro.

Ao contrário: para haver alguma chance de reconciliação, é importante o casal dar um tempo, perceber se o fim do relacionamento foi precipitado ou se realmente é um caminho sem volta.

Os erros mais comuns após o fim do relacionamento 

Ligações e trocas de mensagem. Ligar inúmeras vezes, bater na porta, esperar na saída do trabalho, encher de mensagens são atitudes das mais condenáveis. "Claro, todos têm o direito de pedir para ter uma conversa, quando acham que o fim do relacionamento não está bem resolvido. A questão é saber o limite. Quando o outro não quer, melhor procurar uma terapia ou a companhia dos amigos e desabafar, chorar e se acalmar", orienta Isabela Rosa. 

Stalkear nas redes sociais. Maior erro da atualidade. Ficar olhando as postagens do outro pode levar a deduções que nem sempre correspondem à realidade. "Uma das maiores causas de sofrimento hoje em dia é essa continuidade das relações que acabam, mas que persistem no mundo virtual. Por vezes é recomendado bloquear o acesso até o sentimento de perda amainar", recomenda a psicóloga Helena Monteiro.

Insistir pela partilha. Mesmo que o casal não tenha morado junto, é sempre muito comum deixarem pertences pessoais um na casa do outro. A dica é simples: se o outro não quer buscar, doe para uma instituição de caridade ou jogue fora. O maior erro é insistir para o outro ir buscar algo que ele não quer mais, além de ficar evidente que quem insiste não quer romper o elo.

Falar mal do ex. Em rodas de amigos, no trabalho, com a família. Um outro erro muito comum após o fim do relacionamento é a catarse que alguns casais sentem necessidade de fazer em público. Falar dos defeitos ou desclassificar uma pessoa com quem se compartilhou uma relação amorosa não é elegante e leva, normalmente, a arrependimentos. Para frear esse impulso, basta ´pensar "você gostaria que seu ex estivesse nesse momento falando mal de você para alguém?".

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto