Natal com a família dele: manual de sobrevivência em 5 dicas

Ana Paula Cardoso

Ocasião das festas pode ser um prato cheio para fomentar situações constrangedoras. Saiba como sair destas ciladas - ou evitá-las

Natal com a família dele pode ser uma fria, mas tem jeito! © iStock.com/Mukhina1


Natal em família nem sempre é um mar de rosas. Mesmo na própria família os encontros esporádicos com alguns membros, com os quais quase não temos contato ao longo do ano, demandam cautela e algum controle para que a festa tradicional não se torne insuportável. Imagina, então, quando o Natal é com a família do namorado?

Mas como passar o Natal a dois, e somente a dois, é quase impossível, o importante é buscar soluções para os encontros familiares não se transformem em um desgaste desnecessário. Para a terapeuta Tatiana Auler, especialista em alinhamento energético, o casal precisa ter em mente que a preservação da relação depende da comunicação entre os dois.

"Quando os dois têm diálogo um com outro, já falam entre eles sobre assuntos, como quando vão se casar ou se pretendem ter filhos etc. Então, ao serem confrontados com situações difíceis em família, terão menos dificuldade em lidar", reforça Tatiana.

Rabanada da discórdia

A máxima "de boa intenção o inferno está cheio" muitas vezes se materializa. Foi o caso da executiva Adriana Santos, do Rio de Janeiro. No primeiro Natal passando com a família do então namorado, levou rabanadas feitas por ela, receita de sua avó.

"O prato agradou em cheio a todos os convidados e, num determinado momento, o pai recomendou à mãe do meu namorado que ela aprendesse a receita. Para ela, uma dona de casa, conhecida por preparar comidas deliciosas, foi um golpe. Passei a noite recebendo farpinhas e desandou a festa para mim", conta.

Segundo especialistas, o equívoco neste caso foi não ter pensado no contexto. Caso o namorado tivesse uma mãe com uma vida profissional fora de casa, que tivesse encomendado a ceia, chegar com rabanadas seria um sucesso. No caso de uma mulher dedicada à família, soou como agressão, invasão.

"Claro que evidentemente não foi, mas há mecanismos psicológicos desencadeados pelas situações. O sentimento de perda do filho para uma outra mulher, tão bem explicado na teoria freudiana do complexo de Édipo, vêm à tona justamente nestes momentos", explica a psicóloga Isabela Rosa.

Como lidar com algumas situações em festa de Natal

Como orientaram as especialistas, a melhor forma de lidar com situações constrangedoras na Noite de Natal é o casal estar afinado um com o outro. Em outras palavras, quando há harmonia entre os dois, já é possível conversar antes numa tentativa de prevenir eventuais mal-estar durante a festa de Natal.

Embora não seja possível prever, veja cinco situações típicas de uma noite infeliz, com dicas de solução para lidar melhor com elas.

  1. Bêbado dingo-bel. Nem sempre seu amor estará por perto para salvá-la do tio, tia, primo, irmã que tomaram umas cervejas a mais e resolveram fazer você de confidente. Abraços suados, hálito de cachaça e até algumas lágrimas são cenas recorrentes deste pesadelo. A dica infalível: diga que está com muita sede. Traga uma garrafa de água e compartilhem muitos copos. O efeito da bebida vai amenizar ou, no mínimo, a vontade de fazer xixi vai livrá-la do inconveniente.
     
  2. Ciúme do presente. Levou uma comida que agradou mais do que a da mãe dele? Seu presente foi o maior sucesso do amigo oculto? Sinto informar, mas prepare-se para ser alvo do ciúme. A melhor forma de lidar com isso é simples: comece imediatamente uma propaganda sobre o presente que seu namorado ganhou da mãe. Escolha um prato feito por ela, peça para levar para casa, peça a receita, diga que nunca comeu algo tão bom. A estratégia é desviar o foco e colocar o holofote em quem está com ciúme. 
     
  3. Parente falando da ex-dele. Clássico. Tem sempre um tio ou irmão para trocar seu nome pelo da ex. Ou fazer a gracinha "Ah, que bonita a sua namorada modelo 2017". Mas há ainda quem faça sem maldade. Nada pode ser feito para uma ex que conquistou alguns membros da família. Ao ouvir sobre a moça, apenas escute. Caso o estômago seja forte, até elogie e diga que tem certeza que ela é uma moça ótima, afinal, ele sabe escolher bem as companheiras. Leveza é a palavra de ordem para não deixar o feliz Natal sair pela chaminé.
     
  4. Perguntas indiscretas. As velhas perguntas sobre a vida do casal encontram o espaço ideal para proliferarem-se na Noite de Natal. Afinal, em uma festa tão clichê, essa parte não ficaria de fora. "Como vocês se conheceram?" Ou, se já são casados, "quando vão ter filhos?". A tática são respostas criativas e bem humoradas. Digam que quando casarem todos vão descobrir como se conheceram pois colocarão um telão contando a história. Sobre ter filhos, a resposta mais conveniente e indicada pelas psicólogas é deixar no ar a dúvida. Algo como "Quem sabe em breve você não terá uma surpresa?"
     
  5. Retrospectiva inconveniente. Alguém contando as aventuras de solteiro do seu par não é algo tão legal assim de escutar, não é mesmo? Em geral, quem toma a iniciativa de discorrer pelo passado animado entre farras e namoradas do seu amor está querendo mesmo é provocar. A dica de ouro é: não caia nessa armadilha. Quando começar a escutar, a melhor tática é gargalhara e dizer "Amor, essa você não me contou. Que máximo! Você não era fácil, hein?". Mas melhor ainda é se você tiver algo para contar também. Aí o feitiço vai virar contra o feiticeiro na certa.

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto