Squirt: saiba mais sobre a ejaculação feminina

Ana Paula Cardoso
O esguicho de líquido causado pelo prazer feminino, também conhecido como squirt, não tem comprovação científica mas mexe com o imaginário sexual

Squirt ou ejaculação feminina carrega o desejo de tornar evidente o orgasmo da mulher.


O mito em torno da ejaculação feminina é tão grande que até em uma das séries americanas mais populares da TV, Sexy and the City, se falou nisso. Uma das personagens começou uma relação com outra mulher e recebeu um esguicho no rosto após ter feito sexo oral na sua parceira. Nos filmes pornôs, também é usual cenas em que a ejaculação feminina se faz presente.

Mas do ponto de vista científico ainda não se tem comprovação de que o orgasmo da mulher possa a levar ao espirro de secreção vaginal, proveniente da excitação. Embora homens e mulheres garantam já terem testemunhado o squirt – que vem do inglês e quer dizer ‘esguicho’ - durante uma relação sexual, a classe médica não confirma que seja possível a eliminação de líquidos em forma de jato pela vagina durante o orgasmo. 

Como ocorre o squirt 

Segundo ginecologistas, não existe ejaculação feminina, o que existiria é a liberação de secreções pela vagina, que varia em volume de mulher para mulher. A confusão sobre o squirt mora no fato de que existem mulheres com lubrificação tão intensa que parece uma ejaculação. Mas não existe maneira de a vagina esguichar sua lubrificação, pois as glândulas femininas não são capazes de produzir essa pressão, afirmam os médicos. 

No entanto, já há estudos sobre anatomia defendendo que o squirt pode ocorrer, mas não através da vagina. A chamada ejaculação feminina, o tal esguicho, acontece quando um líquido é expelido pela uretra, por estímulos de determinadas glândulas.

Este líquido não é urina, mas sim uma composição ácida produzida pela irrigação sanguínea nos tecidos das paredes dos canais urinários. Então, o esguicho feminino é possível durante a relação sexual, mas também quando se ri muito ou se enfrenta um momento de estresse ou susto. 

Por isso os médicos ainda resistem em associar o squirt diretamente ao orgasmo feminino.

O desejo da ejaculação feminina

Confunde-se ainda o excesso de lubrificação da mulher com o squirt pelo desejo inconsciente de que a ejaculação feminina exista de fato. Do ponto de vista da psicanálise, a concretização e a visibilidade do prazer feminino através do squirt seria a prova de que a relação sexual foi boa. 

Este seria o principal motivo pelo qual o squirt é tão presente no imaginário da sexualidade. Inclusive dos homens, em busca das evidências do prazer de suas parceiras.

"Existe o desejo escópico (desejo de ver, comprovar as coisas) pelo gozo. Isso faz com que se procure a fundamentação física do prazer. Afinal, o homem pode mostrar seu prazer. A ejaculação e a ereção masculinas são visíveis, palpáveis, enquanto a excitação e o orgasmo da mulher não são explícitos", explica a psicóloga Isabela Rosa.

Enquanto não se comprova a possibilidade ou não do squirt, o orgasmo feminino vai continuar envolto em sua aura de subjetividade.

Copyright foto: iStock

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto