Sexo tântrico: saiba o que é na prática

Ana Paula Cardoso
Conhecida como a prática sexual do 'não-gozar', a técnica do sexo tântrico ensina que o prazer consiste em reverenciar o parceiro

Sexo tântrico é reverenciar o parceiro.


Uma técnica milenar que ensina a prolongar as preliminares, aumentar a libido e fazer da experiência sexual algo sublime. É o que prometem os ensinamentos sobre sexo tântrico, prática original da Índia baseada no princípio de uma fusão entre amor, sexo e espiritualidade.

Mas de acordo com especialistas, o sexo tântrico tem muito mais a ver com a forma de encarar o sexo do que com a técnica em si. Apesar de existirem práticas específicas utilizadas e, atualmente, amplamente ensinadas em cursos mundo afora, a forma de se relacionar com o parceiro ainda é o principal diferencial desta prática. 

O sexo tântrico defende, antes de tudo, a atitude do parceiro diante do outro no cenário sexual. "É quase de reverência ao corpo do outro. Uma vez o cantor Sting disse que o corpo de sua esposa há 30 anos era seu 'templo'. Essa seria a analogia perfeita", explica a psicóloga e especialista em sexualidade, Tatiana Pesser. 

Orgasmo como experiência mística

Na prática tântrica, considera-se o orgasmo como experiência mística, um momento em que as duas pessoas se tornam uma. Segundo as teorias sobre o sexo tântrico, essa sensação de prazer pode se estender amplamente, a ponto de fazer uma conexão com o Universo (ou Deus ou a energia mística, dependendo de cada crença). Esta 'conexão' provocaria uma experiência física e espiritual fortíssima.

"O objetivo não é deixar de alcançar o orgasmo e sim transformá-lo numa experiência muito poderosa. Para isso é necessário saber controlar o clímax, especialmente o homem, uma vez que a mulher pode ter orgasmos múltiplos, recuperando-se com intervalos de menos de trinta segundos", explica a psicóloga.

Os adeptos do sexo tântrico ensinam ainda que não existe um lugar ideal para se praticar a técnica. Diferente do que se pensa, não é preciso acender velas ou colocar músicas orientais para que o sexo vire uma experiência sublime. 

O prazer intenso pode começar em qualquer lugar, seja através de um beijo, de um abraço prolongado, no sofá da sala ou no banho juntos. O importante são os toques, olhares e a ativação dos cinco sentidos durante as preliminares. 

Sem ejacular, mas com prazer

Segundo a sexpert Tatiana Presser, quando o homem prolonga a penetração sem ejacular, não significa que não há prazer para ele. "Na verdade ele pode até chegar ao orgasmo sem gozar, que é outra técnica ensinada na prática do sexo tântrico", diz a especialista.

Engana-se, porém, quem associa o sexo tântrico somente à não-ejaculação. As técnicas ensinadas na prática desta relação sexual defendem justamente que, quanto mais tempo o homem segurar o orgasmo, mais intensa vai se tornar a experiência quando ele finalmente ejacular.

"No entanto, o mais importante no sexo tântrico não é o orgasmo em si, é toda a experiência, como devia ser sempre. Prologar o sexo é apenas um motivo para se curtir mais, estar mais tempo e mais profundamente conectado com o parceiro", orienta Tatiana Presser.. 

O grande perigo é a técnica ser usada como disputa entre o casal. "De forma alguma é um concurso de quem consegue ficar mais tempo nas preliminares sem gozar! Sexo tântrico é uma ótima ferramenta para o autoconhecimento e o conhecimento do outro", completa a especialista em sexualidade.

Copyright foto: iStock

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto