Entenda de vez a relação entre o álcool e o sexo

Ana Paula Cardoso
Saiba quais são os efeitos da bebida alcoólica na libido e no desempenho sexual de homens e mulheres

Álcool e sexo: linha tênue entre ajudar e atrapalhar o sexo.


O álcool pode, sem dúvida, servir como uma ferramenta para desinibir as pessoas em todos os sentidos. Os tímidos ficam mais à vontade, os sérios ficam mais engraçados. Em se tratando de sexo, não seria diferente. Algumas doses de álcool facilitam o bom desempenho na cama.

No entanto, quando há exagero, a ingestão de qualquer substância entorpecente pode atrapalhar e trazer muitos problemas não apenas para a performance sexual, mas também de ordem emocional.

“(Ao beber demais), o homem pode ter dificuldade de ter ou manter uma ereção, o que pode afetar a autoestima e até vir a se tornar um problema psicológico grave, se for uma questão recorrente. Já no caso da mulher, se ela for do tipo que perde o controle com a bebida, o risco é surgir algum sentimento de arrependimento”, explica a psicóloga e sexpert Tatiana Presser.

Embora o exagero na bebida possa trazer danos à performance sexual de ambos os sexos, os riscos maiores são para o homem. Isso porque na mulher o álcool afeta somente o mecanismo de ordem emocional, enquanto no homem fatores de ordem fisiológica podem ser alterados pelas doses extras de bebida.

Efeitos diferentes para homens e mulheres

A principal alteração de ordem orgânica do álcool é intensificar a vasodilatação do sistema circulatório. Na mulher, essa alteração fisiológica não é tão problemática. E como ela fica mais liberada e desinibida mentalmente, acaba por entrar nas preliminares mais bem disposta, o que favorece a vivência plena do prazer e a consequente lubrificação.

Já no homem, embora os efeitos sejam os mesmos, as alterações no corpo podem atrapalhar a performance sexual. Da mesma maneira que ocorre com as mulheres, o álcool pode trazer benefícios, se o homem precisar relaxar, quando se está muito ansioso ou tem uma alta expectativa em agradar à mulher.

Mas a linha entre o efeito positivo e negativo do álcool no desempenho sexual masculino é tênue. O importante para eles é controlar a quantidade. Se o homem passa do ponto, há sérios riscos de comprometer o enrijecimento peniano.

“Quando a quantidade de álcool é muito alta, ocorre uma vasodilatação generalizada no organismo. Como a quantidade de sangue no corpo é única, essa circulação vai se distribuir por outras áreas do corpo, ficando mais escassa a quantidade de sangue nos corpos cavernosos do pênis, fundamental para  sustentar a ereção”, esclarece o médico Marino Pravatto Júnior.

Na mulher, esta distribuição da irrigação sanguínea não causa efeitos relevantes em sua excitação. E como nenhum homem gostaria de fazer feio com a parceira, convém seguir o conselho de especialistas e reduzir as doses.

“Acredito que umas taças de vinho (sem exagero) sirvam mais para a mulher relaxar do que para o homem tomar coragem. O álcool não é algo que ajuda tanto o homem nesse sentido. Melhor deixar os coquetéis para as mulheres na hora do sexo”, recomenda a sexpert Tatiana Presser.
 
Copyright foto: iStock 

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto