Há risco de engravidar quando se pratica o coito interrompido?

Ato de tirar o pênis da vagina antes de ejacular é arriscado e não deve ser a única medida contraceptiva

Dúvida da leitora: Existe possibilidade de se engravidar se o homem não usar camisinha, mas jogar o esperma para fora?

O coito interrompido nada mais é do que a penetração do pênis na vagina sem nenhuma prevenção (como uso de preservativo ou pílula anticoncepcional). Quando o homem percebe que vai ejacular, o pênis é retirado, impedindo que o esperma atinja o canal vaginal.

A prática de interromper a penetração e ejacular fora da vagina é um dos métodos mais arriscados para quem não deseja ter filhos. Embora não se tenha uma estimativa de eficácia, não é recomendado como prevenção contra gravidez.

Portanto, como método contraceptivo é um dos menos recomendados. Ao mesmo tempo, trata-se de uma prática que vale a pena ser usada quando não há nenhuma outra alternativa para se evitar a gravidez.

Os riscos do coito interrompido

Do ponto de vista fisiológico, é importante ressaltar que na lubrificação da uretra masculina já podem existir espermatozoides. Então, mesmo quando o homem sabe se controlar e não ejacula dentro da mulher, esta lubrificação peniana pode ser o veículo para a fecundação, caso a mulher esteja em seu período fértil.

Outro risco iminente se dá pelo fato de ser  necessário um autocontrole muito grande da parte do homem. Isso pode acabar prejudicando a qualidade da relação sexual por causa da preocupação do homem e também da mulher, que não tem como ter certeza se vai estar protegida.

Além do mais,  os homens mais jovens não tem controle sobre o coito interrompido. E o mais importante: o sexo sem camisinha pode levar à contaminação por doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), entre as quais, o HPV.

Também tem alguma dúvida sobre sexualidade? Envie suas perguntas para o Dr. Marino Pravatto Júnior através do email redacao@arevistadamulher.com.br

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto