Demora em ter relações ou transar com vontade de fazer xixi levam a gozar rápido?

Homens não conseguem controlar a ereção mais por fatores emocionais, como ansiedade, que propriamente físicos

Dúvida do leitor: Há alguns dias, eu estou gozando muito rápido. O tempo que a pessoa fica sem ter relações sexuais pode influenciar nesse caso? E ter relações com vontade de fazer xixi, pode  ser um motivo de gozar rápido?

A dúvida do leitor é uma das questões que mais atormentam os homens. A ejaculação precoce ou mesmo o ato de gozar rápido demais podem impedir que o homem leve a parceira ao orgasmo, afetando, assim, a qualidade do encontro amoroso-sexual.

No caso do rapaz que nos procura em busca de ajuda, por não sabermos a idade dele, não é possível inferir sobre os motivos precisos dos episódios relacionados à rapidez da ejaculação.

Mas o que podemos  afirmar é que entre os homens, principalmente jovens com menos de 30 anos, a velocidade da ejaculação, como já respondemos algumas vezes aqui, pode estar, sim, associada ao tempo de abstinência.

Troca de parceira

Após um período longo sem praticar sexo e sem se masturbar, o homem vai ter mais dificuldade de controlar a ejaculação. Outro motivo que pode agravar o caso é também se estiver trocando de parceira.

Toda novidade tem dois aspectos: pode aumentar a excitação ou deixar o homem nervoso e levá-lo a gozar rapidamente. A ansiedade a respeito de uma nova relação sempre pode ser um motivo ou para perda da ereção, ou para a ejaculação rápida.

A ereção antes do xixi

Quando se está com a bexiga cheia, acontece o priapismo. De manhã cedo, o homem levanta sempre ereção porque a bexiga cheia causa uma distensão do próprio órgão. E também o estímulo da região do pênis internamente.

Para reter a urina, os corpos cavernosos da região peniana incham por falta de circulação sanguínea e isso leva à ereção. Não há relação direta com o fato de gozar rápido, mas a partir do momento que o homem urine, a ereção acaba.


Também tem alguma dúvida sobre sexualidade? Envie suas perguntas para o Dr. Marino Pravatto Júnior através do email redacao@arevistadamulher.com.br

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto