Top Bardot: como arrasar com a peça que deixa os ombros à mostra

Jessica Krieger
Decote ombro a ombro ou simplesmente ciganinha:  saiba como escolher (e combinar) o top bardot 

Alexa Chung, Kendall Jenner e Kate Hudson com diferentes versões do top Bardot.


A blusa com decote ombro a ombro, conhecida como top Bardot é uma das it peças da temporada em todo o mundo. Inspirado em Brigitte Bardot, atriz que fez um grande sucesso nos anos 50 e 60, este top é um resgate de referências de moda destas décadas e esteve presente, inclusive, nas passarelas de Verão 2016 nas semanas de moda de Nova York e Londres. Entre as famosas, a top Kendall Jenner é uma das adeptas desta peça coringa, que pode ser usada em diversas combinações.

Por aqui, o top Bardot também é chamado de ciganinha, por causa do decote bem ao estilo hippie. Sinônimo de sedução e beleza, deixar os ombros à mostra é uma ótima alternativa para quem não deseja se expor demais e, ainda assim, busca um visual bastante feminino. “Um dos grandes fatores de popularização desse decote nessa temporada mundo afora, aconteceu por conta de sua presença em um desfile da Proenza Schouler na New York Fashion Week em setembro do ano passado causando um efeito cascata entre outras marcas, bloggers, modelos e trendsetters”, analisa Rebeca Kroker, personal stylist e consultora de moda. 

Como usar o top Bardot?

A stylist explica que, apesar da peça ter bastante volume na linha do decote, muitas marcas decidiram usar tecidos mais aderentes como malhas e tricôs. E isso facilitou a vida de quem pretende usar a peça no ambiente corporativo, com uma calça de alfaiataria e até um terno por cima. 

Para a festa, versões em renda ganham espaço, especialmente se estiverem coordenadas com saias de tule ou tecidos mais estruturados. “Se for usada com uma calça jeans, para o lazer, ela até pode ser de um tecido mais leve e fluído”, completa.

Equilibrando as proporções

O top Bardot contempla os mais diferentes tipos de corpos, mas é preciso tomar cuidado na hora de usar, especialmente se o biótipo for do tipo triângulo invertido, com ombros maiores que os quadris. Neste caso, o decote vai visualmente aumentar ainda mais na região dos ombros. 

Para equilibrar a produção, a especialista recomenda peças de maior volume nos quadris, como uma saia evasê de cintura alta, por exemplo. Ela completa que, se a estatura for baixa, um vestido Bardot de comprimento acima dos joelhos pode alongar a silhueta.  

Top Bardot nas passarelas de Barbara Casasola (Londres), Ohne Titel e Proenza Schouler (NYC).


Na hora da compra, é preciso observar o volume natural da região superior do corpo. Se o problema estiver nos braços, ombros muito largos ou seios maiores, a dica é escolher estampas e modelagens que ajudem a diminuir as proporções. “Escolha blusas Bardot mais compridas, acinturadas de estampas miudinhas, cores lisas ou escuras para combinar com calças flare”, afirma. 

“Outro truque são as blusas Bardot com mangas mais longas. Elas podem ser justinhas 3/4 ou até mesmo bocas de sino oversize e babados. Em ambos os casos elas ajudam a disfarçar os braços para quem preferir essa opção e tiram o foco somente dos ombros”, acrescenta. 

Modelo correto

Para as magrinhas, a escolha depende do estilo pessoal. “Acredito que agora seria a hora dessas mulheres aproveitarem essa tendência para investir em peças mais volumosas, de tricoline para o dia e de tafetá para a noite”, analista Rebeca. 

Já para mulheres que estão acima do peso, ao contrário do que se pensa, o top Bardot muito solto pode dar a impressão de volume ainda maior. “Prefira modelagens que definem a silhueta, sem marcar. Esse efeito pode ser obtido com peças de malha ou até algodão. A palavra-chave nesse caso é modelagem: nem muito justo, nem muito solto”, finaliza a stylist.  

Copyrigjt foto: Joel Ryan/Rich Fury/AP/ SIPANY/SIPA e iMAXtree

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto