6 atitudes que prejudicam as unhas

Priscila Pegatin

Tirar o esmalte com o dente, usar acetona ou remover a cutícula em excesso podem estar entre as causas de ter unhas fracas e quebradiças

iStockphoto.com/heckmannoleg
Para ter unhas bonitas e saudáveis é preciso se livrar de alguns hábitos diários. © iStockphoto.com/SanneBerg


Ir à manicure toda semana é um bom hábito adquirido pela maioria das mulheres. Principalmente entre as brasileiras brasileiras, a vaidade com as mãos é um dos traços culturais mais evidentes. Mas até que ponto sabemos diferenciar cuidados com a beleza de cuidados com a saúde das unhas

Para quem não sabe, muitas vezes a preocupação meramente estética não corresponde às boas condições desta parte das mãos. Como explica a dermatologista Joana Figueira Tebar, ao longo da vida alguns costumes podem colocar em risco a estrutura da unha e afetar até a parte estética.  

Para manter unhas bonitas e saudáveis ao mesmo tempo, confira 6 hábitos que devem ser deixados de lado o quanto antes!

1. Arrancar o esmalte com o dente

Atire o primeiro vidro de esmalte quem nunca tirou, ao menos uma lasquinha, de esmalte com o dente. No entanto, saiba que este hábito está longe de ser o ideal. Isso porque a unha é composta de diversas camadas finas de células, uma sobre a outra.

Ao retirar o esmalte com os dentes algumas dessas camadas podem ser danificadas, comprometendo a proteção das unhas. "Elas acabam ficando fracas e podem sofrer traumas, como manchas esbranquiçadas”, explica a dermatologista. “O correto é tirar o esmalte apenas com removedores sem acetona”, completa.

2. Usar acetona para tirar o esmalte

O motivo pelo qual se deve optar por removedores e não por acetona está relacionado `à sua composição, com um tipo de ácido, que normalmente prejudica a saúde da unha e provoca lesões. “A acetona deve ser usada em último caso”, alerta Joana. E quando usá-la, em seguida abuse de hidratantes nas unhas e nas mãos para evitar que elas fiquem ressecadas.

3. Roer unha

O que parece ser um hábito que alivia o estresse pode gerar graves consequências às unhas. “A unha, a cutícula e até mesmo a pele são nossa proteção contra vírus e bactérias. Quando roemos nossas unhas, rompemos essas barreiras, deixando-as expostas a esses perigos”, explica Joana. Devido a essa exposição, as unhas ficam sujeitas a infecções que podem resultar em inflamações.

“Sabemos que parar de roer unha não é uma tarefa fácil, mas não é impossível”, diz a dermatologista. Para se livrar do mau hábito, a dica é identificar o que provoca a ansiedade que leva a começar a roer as unhas e tentar eliminá-la.

4. Tirar cutícula em excesso

Você já deve ter ouvido falar que o ideal é empurrar a cutícula com uma espátula e retirar só o excesso. No entanto, se ainda não adotou este hábito é hora de pensar melhor no assunto. Ao remover toda a cutícula as unhas ficam suscetíveis a contaminações, além de ficarem fracas e deformadas. “A cutícula faz parte da unha e desempenha um papel importante contra bactérias e fungos”, reforça a dermatologista. 

5. Contato direto da unha com superfícies

Seja ao digitar com a ponta dos dedos no teclado do computador ou ao bater a unha repetidamente na mesa, o hábito deixa as unhas fracas e quebradiças devido ao atrito e pressão. Para evitar maiores danos, a Dra. Joana orienta manter as mãos e cutículas bem hidratadas, pois assim elas ficarão mais resistentes e flexíveis. 

6. Ficar com a mão por muito tempo embaixo d´água

A rotina de trabalho ou de cuidados com a casa levam muitas mulheres a ficarem mais tempo do que deveriam com a mão embaixo d’água. O resultado são unhas quebradiças e frágeis, tanto por causa da água, quanto do uso de produtos químicos e detergentes, que contém substâncias que ressecam as unhas. 

A solução é fazer uso de luvas para lavar as louças ou fazer o serviço doméstico, não demorar no banho e lavar as mãos sempre com sabonete hidratante. “Esses cuidados vão favorecer a saúde das unhas”, finaliza a dermatologista.

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto