Meditação: saiba quais são benefícios e como praticar

Ana Paula Cardoso
Meditar não requer isolamento nem muito tempo disponível e pode virar um hábito cotidiano que ajuda a recarregar energias e reduzir o estresse

Meditação combate estresse e pode ser feita durante  pequenas pausa no dia a dia.


Quando se pensa em meditação, geralmente vem à mente a necessidade de isolar-se num lugar em meio à natureza, silencioso, onde se relaxa sem nenhum estímulo externo para atrapalhar. No entanto, a prática milenar que nasceu na Índia, e conquistou o ocidente pelos seus benefícios terapêuticos, pode ser inserida ao dia a dia de forma simples.

Com algumas técnicas de respiração e uma certa capacidade de concentração, é possível controlar os pensamentos, acalmar-se e desacelerar as funções orgânicas. A meditação, então, funciona como uma via de libertação das preocupações e tensões, um modo de alcançar um estado de tranquilidade que refresca a mente e descontrai o corpo.

E esta pausa pode ser feita tantas vezes quanto se desejar. Para a psicóloga e terapeuta holística Andreia Bernardo, a respiração e o esvaziamento mental são a chave para a cura de problemas de ordem emocional. “Se não controlamo a nossa mente, como vamos controlar nossa emoções?”, provoca a terapeuta.


Muitos benefícios, nenhuma contraindicação

A meditação é encarada pelos seus praticantes e por terapeutas  como um eficaz método de autoajuda. Mesmo a tradicional medicina ocidental percebeu que ela pode ser uma chave para exercitar a capacidade de concentração e reduzir o fluxo de informações e sensações que captamos, sem nenhuma contraindicação.

Com a queda dos estímulos cerebrais, aumenta a capacidade de se dar as respostas mentais. Algumas pesquisas científicas comprovam que a respiração, a atividade cerebral, a pressão arterial e até nossa frequência cardíaca e pulsação são afetadas positivamente pela meditação.

Em resumo, os praticantes de meditação costumam afirmar que o esvaziamento da mente não faz os problemas desaparecerem, mas ajuda a lidar melhor com eles.

Dicas práticas para meditar

Mesmo aquela pausa de olhar vago, quando se pensa em nada, ou se estaciona em um único pensamento agradável, pode já ser benéfica. Veja algumas dicas de terapeutas e praticantes de meditação para não usar mais a falta de tempo ou de local apropriado como desculpa.

  • Sonhe acordado – permita-se pequenas quebras de raciocínio, através de devaneios por curtos espaços de tempo. Pode ser no transporte (desde que não se esteja conduzindo) ou em uma pausa durante o trabalho;
  • Respire e conte – respire profundamente, contando até quatro. Prenda a respiração e conte até quatro novamente. Solte a respiração contando até quatro e prenda de novo, ainda contando até quatro. Faça isso repetidas vezes, em qualquer lugar, tomando cuidado apenas para não se sentir ofegante. A concentração em conciliar a contagem com a respiração não permite que se pense em mais nada;
  • Cante e espante os males – mais adequada para fazer em casa, essa técnica consiste em buscar um mantra e repeti-lo, de preferência de olhos fechados, concentrando-se na sonoridade e na escuta da própria voz. Faça por pelo menos 15 minutos;
  • Ouça música relaxante – escolha uma música apropriada para meditação e relaxamento (na internet há diversas opções), deite-se e concentre-se na música, respirando e expirando profundamente.

Copyright foto: iStock

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto