Saiba como controlar a ansiedade e viva melhor

Etiene Resende
Controlar a ansiedade pode ser definitivo para diminuir o sofrimento diante de momentos decisivos

Controlar a ansiedade é importante para amentar a qualidade de vida.


Entre os grandes problemas que vêm crescendo nos tempos atuais, a ansiedade se destaca como um dos mais recorrentes. Apesar de não ser uma novidade, muitas pessoas não fazem ideia de como esse tipo de angústia pode gerar estresse e impactar no dia a dia e, principalmente, tornar mais difíceis as conquistas.

Segundo a psicóloga e proprietária da Clínica Salus Mentis, Kelly Cristina de Lima Urata, a ansiedade, aflição, atitude emotiva em relação ao futuro e preocupações são percepções emocionais que fazem parte do repertório natural das sensações humanas. 

“Esses sentimentos regulam nossas funções emocionais. Por exemplo, numa situação de estresse e de tomada de decisão imediata frente ao inesperado. A expectativa pela realização de algo importante, a não certeza do resultado de algo que desejamos, ou ainda a espera por algo relacionado ao futuro, podem aparecer como as principais causas dos sintomas da ansiedade”, explica a psicóloga.

Mas a ansiedade não é exatamente um problema. O que pode prejudicar mesmo é a maneira com a qual ela aparece e como lidamos com isso. “A ansiedade pode se tornar prejudicial à vida de alguém quando se apresenta de maneira excessiva, persistente e debilitante, ganhando o status de transtorno", ressalta Kelly.

Para a especialista, o problema consiste quando se chega a um nível elevado de ansiedade, que pode gerar até uma estafa mental. "Este estágio causa apreensão, medo e preocupações constantes e se apresenta de forma incontrolável, dominando a vida psíquica e o funcionamento emocional e mental do sujeito”, destaca a terapeuta. 

Como controlar a ansiedade


Kelly Cristina lembra que quando se fala de transtorno de ansiedade a possibilidade de controle fica reduzida. Os sentimentos e percepções tomam proporções muito grandes, ao ponto de, inclusive, gerar sintomas físicos no indivíduo. Entre os desconfortos, a psicóloga destaca as palpitações, falta de ar, dores no peito, formigamento, tremores nas mãos, tonturas etc. 

“Entender o que alimenta essa preocupação crônica, se o anseio que angustia é produtivo ou não, promove no ansioso uma percepção mais crítica dessas sensações. Observar a própria ansiedade e aceitá-la, acompanhado do tratamento profissional técnico do psiquiatra e psicólogo, é o caminho para o tratamento do transtorno de ansiedade”, reforça.

Em alguns casos mais complexos, o uso de medicamentos pode ser indicado, conforme explica a psicóloga. “Quando o indivíduo percebe que está produzindo sintomas não mais considerados naturais para suas preocupações e receios cotidianos, é necessário buscar orientação e tratamento profissional", orienta>

Segundo a psicóloga, o médico psiquiatra é quem fará o diagnóstico adequado para o transtorno de ansiedade, podendo inclusive prescrever medicação para os casos mais agudos. "O uso da medicação é muito importante para a contensão da crise e é vinculado a psicoterapia, o que trará o paciente à retomada da qualidade de vida”, conclui.

Copyright foto: Istock

Leia também:

Anúncio google

1 comentário

Ansiedade é um mal que acomete muitas pessoas. Para quem se interessar, escrevi aqui um artigo sobre o Alprazolam, um medicamento muito utilizado por pacientes com quadros ansiosos.