Ausência de protetor solar aumenta 10 vezes risco de câncer de pele

Fernanda Lima
Seu uso deixa a pele protegida da radiação ultravioleta e reduz também a incidência de doenças como o lúpus, melasma e eritema solar

Use e abuse do protetor solar!


Todos sabem que é importante usar protetor solar, mas nem todos colocam a teoria em prática. Segundo a dermatologista Cristiane Braga Kanashiro, em primeiro lugar, é fundamental que a população saiba que usar protetor previne uma doença grave: o câncer de pele. Não usá-lo (pasme!), aumenta 10 vezes o risco de contrair essa doença. 

O uso do protetor também deixa a pele protegida da radiação ultravioleta, reduzindo o aumento de doenças fotossensíveis tais como o lúpus, melasma, eritema solar, entre outras, além de prevenir o fotoenvelhecimento, responsável por manchas na pele e rugas. 

Segundo Cristina, dos tipos de câncer de pele causados pela não proteção, o mais comum é o basocelular, seguido do espinocelular. “Estes dois não costumam ter metástases e dificilmente causam a morte", explica a dermatologista. Porém, existe um tipo mais grave: o melanoma. Embora mais raro do que os outros, ele também é causado, principalmente, pela exposição ao sol. 

Mitos e verdades sobre o protetor solar

O que não faltam são dúvidas na hora de aplicar o protetor solar. Ele sai na água? Deve-se aplicar de quanto em quanto tempo? Com a ajuda da dermatologista, A Revista da Mulher responde algumas dúvidas frequentes. Confira:

Independente da cor de pele, posso usar qualquer tipo de protetor solar. O que importa é usar!
Mito: Segundo Cristina, a regra é: quanto mais clara a pele, maior o fator de proteção recomendado. As especificidades da derme precisam, sim, ser respeitadas, mas estas somente serão avaliadas em conjunto com o dermatologista.
 
Devo passar protetor antes de me expor ao sol.
Verdade: Segundo Cristina, o ideal é que o protetor seja aplicado cerca de trinta minutos antes da exposição.  

O protetor solar não precisa ser retocado.
Mito: O protetor solar deve ser retocado a cada três horas. Em ambientes de maior exposição como parques, praias, piscinas, esportes ao ar livre, o produto deve ser reaplicado a cada duas horas.
 
O protetor solar sai na água.
Verdade: Quando você se joga na água o protetor vai embora. Por isso, alerta a dermatologista, ele deve ser reaplicado após o banho de mar ou piscina.

A alimentação também protege a pele do sol

Além de usar protetor solar, a dermatologista afirma que a alimentação também pode servir como aliada no combate ao câncer de pele. Segundo Cristina, alimentos ricos em antioxidantes, particularmente os carotenoides, deixam a pele mais tolerante a exposição solar. “Esses estão presentes em alimentos como cenoura, beterraba, tomate, abóbora, espinafre”, finaliza.

Copyright foto: iStock

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto