Bromidrose: conheça as causas e o tratamento do mau cheiro nas axilas e pés

Fernanda Lima

Odor desagradável causado pela presença das bactérias ou fungos pode ser evitado com medidas simples, como secar bem a pele após o banho

Saiba como evitar e tratar a bromidrose. © iStockphoto.com/Siphotography


A bromidrose é caracterizada pelo suor na axila com cheiro desagradável - o famoso cecê - e suor nos pés, conhecido como chulé. O problema é causado pela presença das bactérias ou fungos nessas regiões, que agem sobre o suor quando encontram-se em um ambiente propício (quente, úmido e escuro), levando ao mau cheiro.

Segundo a Dra. Ana Carolina de Oliveira Gomes, dermatologista do CECAM, rede de clínicas de saúde, algumas doenças, como o diabetes e o alcoolismo, também podem causar o odor desagradável. Outro fator desencadeante são alguns hormônios que alteram a transpiração.

Diagnóstico e tratamento da bromidrose

O sintoma mais característico da bromidrose é o cheiro desagradável causado pelo suor. Nos pés, além do odor ruim, a bromidrose também pode provocar descamação. Para diagnosticar o problema, deve-se consultar um dermatologista, que fará um estudo clínico com base nas queixas do paciente.

O tratamento, por sua vez, é realizado de acordo com a causa da bromidrose e consiste em antibióticos, antifúngicos e medicamentos que controlam a transpiração. Também é indicado o uso de antitranspirantes à base de cloreto de alumínio. 

Em casos graves, alguns dermatologistas sugerem soluções mais invasivas, como a lipoaspiração das glândulas axilares ou a retirada cirúrgica das glândulas apócrinas, realizadas por cirurgiões plásticos.

Dicas para evitar os maus odores

A dermatologista sugere uma medida simples para evitar a bromidrose: secar bem a pele depois do banho, evitando deixar áreas com umidade, o que propicia a proliferação de micro-organismos. Além disso, acrescenta que o ideal é optar por produtos de higiene - como sabonetes antissépticos e desodorantes - que controlam o suor.

Trocar de roupas todos os dias e dar preferência para roupas de algodão, evitando os produtos sintéticos, é outra medida que evita a bromidrose. O chulé é comum na adolescência, pela utilização intensiva de tênis.

Também em profissionais que têm a necessidade de utilizar sapatos fechados diariamente também pode ser evitado. Neste caso, a dica é deixar os sapatos em lugares com ventilação adequada e colocá-los sob o sol, para combater qualquer umidade.

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto