0
Obrigado

Algumas palavras de agradecimento nunca são demais.

O consumo de fast food e refrigerante aumenta mais de 30%% no Brasil

Estudo publicado pela Opas revela que aumento de peso da população em países latino-americanos está relacionado com o consumo de alimentos ultraprocessados, como doces, sorvetes e massas

O Brasil registrou 30,6% de aumento no consumo de alimentos ultraprocessados, ficando em 6º lugar no ranking dos 13 países latino-americanos pesquisados.


A população latino-americana está consumindo mais fast foods e bebidas açucaradas, segundo o relatório divulgado pela Organização Pan-americana da Saúde (Opas). O relatório indica que de 2000 a 2013, a venda per capita de alimentos ultraprocessados aumentou 26,7% nos 13 países estudados. No mesmo período, a venda desses alimentos diminuiu 9,8% na América do Norte.

O maior crescimento foi registrado no Uruguai, com 146%, seguido de Bolívia (130%) e Peru (107%). O Brasil registrou aumento de 30,6%, ficando em 6º lugar no ranking dos 13 países.

Os dados também mostram que o aumento no consumo de alimentos ultraprocessados - como refrigerantes, doces, sorvetes, molhos, massas e comidas congeladas -  está fortemente associado ao aumento do peso corporal "Esses alimentos representam uma parte cada vez maior do que as pessoas comem e bebem na América Latina, com resultados muito negativos", afirma Enrique Jacoby, assessor da Opas.


Outro dado relevante indica que, em 2013, a venda de fast foods aumentou 38,9%, sendo o Brasil e o Peru os maiores consumidores. De acordo com o relatório, um dos fatores que contribuem para essa situação é o fato de a América Latina ser um mercado atraente para as multinacionais da alimentação doméstica.

As consequências do alto índice de consumo desses alimentos, segundo os especialistas, são negativas para a saúde, pois substituem as dietas tradicionais mais nutritivas. Além disso, eles concluem que os alimentos ultraprocessados são duplamente prejudiciais, pois são viciantes e levam a um aumento do peso. 

Desta forma, os pesquisadores recomendam que as organizações, governos, comunidade científica e a sociedade civil apoiem e implementem políticas para promover a escolha de alimentos mais saudáveis.

Copyright foto: iStock 

Publicado por . Última modificação: por oRedacao.

Este documento, intitulado 'O consumo de fast food e refrigerante aumenta mais de 30%% no Brasil', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o A Revista Da Mulher (https://arevistadamulher.com.br/) ao utilizar este artigo.
Adicionar comentário

Comentário

Comentar a resposta do usuário anônimo