0
Obrigado

Algumas palavras de agradecimento nunca são demais.

Conheça 10 ’pegadinhas’ da alimentação saudável

Descubra quais são os alimentos que parecem saudáveis, mas não são

Alimentação saudável também tem 'pegadinhas'.


Leite, cereais integrais, muita soja, frutas, verduras, legumes, gelatinas para as crianças, pães com quatro, cinco, dez e até 12 grãos distintos, iogurtes que ativam o intestino. Será que isso tudo é garantia de uma alimentação saudável? Nem sempre.
 
Alguns pratos leves podem ser calóricos. Outros petiscos integrais podem ter sódio em excesso. “Muitos dos alimentos que pensamos serem saudáveis podem fazer mal a sua saúde. Exitem algumas ‘pegadinhas' da alimentação saudável, mas há como fugir delas”, afirma Paula Fernandes Castilho nutricionista e diretora da Sabor Integral Consultoria em Nutrição.
 

Parece mas não é: 10 mitos da alimentação saudável

  • Saladas com molhos. Consumir salada é um hábito de quem mantém uma dieta saudável, mas muita gente enche de azeite, o que eleva a caloria, ou coloca massa ou crotouns. O ideal também é evitar adicionar molhos prontos e industrializados, que contêm grandes quantidades de conservantes, gordura e sódio
 
  • Peito de peru. O peito de peru é muito escolhido para compor dietas por conter baixo teor de gordura, mas o que muitas pessoas não sabem é que ele, além de conter muito sódio, possui nitritos e nitratos – conservantes prejudiciais à saúde;
 
  • Pão integral. Existem no mercado pães integrais ótimos com 100% farinha integral e sem açúcar refinado. Mas é de total importância ficar atento aos ingredientes dos pães. Muitos têm em sua composição mais farinha refinada do que farinha integral, baixa quantidade de fibras e grande quantidade de açúcar refinado;
 
  • Barra de cereal. Existem muitas barras de cereais que são consideradas adequadas, como as opções sem glúten e sem lactose, que contêm mais oleaginosas e cereais como chia, quinoa e amaranto. Muitas barrinhas, no entanto, contêm grande quantidade de gordura saturada, açúcar e corantes. É importante analisar os rótulos e os ingredientes que compõem os alimentos;
 
  • Sucos light de frutas.  A quantidade de adoçantes presentes nos sucos artificiais é grande. Alguns adoçantes (ciclamato, sacarina) têm níveis altos de sódio. É interessante que os sucos de frutas contenham fibras, o que não acontece com a maioria dos sucos em pó light;
 
  • Biscoitos integrais. É fundamental analisar o rótulo dos alimentos. Muitos biscoitos integrais contêm em sua composição mais farinha refinada do que integral, baixa quantidade de fibras e grande quantidade de gordura saturada;
 
  • Requeijão. Costuma ser um dos mais escolhidos quando o assunto é reeducação alimentar. Mas deve-se ter cautela no uso, pois possui grande quantidade de gordura saturada;
 
  • Legumes em conserva. Para uma alimentação saudável de verdade, os legumes in natura são ótimas fontes de fibra. Já os legumes em conserva acabam tendo grande quantidade de sódio, além de conservantes que podem ser prejudiciais à saúde;
 
  • Sushis e temakkis. Feitos em geral à base de peixes ricos em gorduras saudáveis e ômega 3, como salmão e atum, esses clássicos da culinária japonesa podem não ser uma opção muito equilibrada. O açúcar branco açucarado que acompanham estes alimentos tem alto valor calórico e índice glicêmico elevado. Também em um país quente como o Brasil, é preciso ter cuidado com a ingestão de peixe cru, que pode causar intoxicações se não estiver fresco;
 
  • Suco de soja. A bebida pode colaborar para a alimentação saudável das mulheres, pelo alto índice de isoflavona, mas para homens e crianças pode ser prejudicial justamente pelo mesmo motivo. Homens devem evitar soja, pois o alimento pode baixar os níveis de testosterona. Já as crianças podem entrar na puberdade precocemente por causa deste componente da soja. Além disso, os sucos de soja contêm significativas quantidades sódio e açúcar;
 
Copyright foto: iStock 

Veja também

Publicado por . Última modificação: por oRedacao.

Este documento, intitulado 'Conheça 10 ’pegadinhas’ da alimentação saudável', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o A Revista Da Mulher (https://arevistadamulher.com.br/) ao utilizar este artigo.
Adicionar comentário

Comentário

Comentar a resposta do usuário anônimo