0
Obrigado

Algumas palavras de agradecimento nunca são demais.

Educação à distância pode dar certo?

De cursos de língua a aulas de reforço, o ensino pela internet é uma tendência

Educação à distância tem vantagens para pais e estudantes de todas as idades.


Em se tratando de metodologia de aprendizado, é normal acontecerem evoluções ao longo do tempo. Para aproximarem-se da realidade dos alunos, professores e escolas têm se adaptado aos recursos tecnológicos do mundo contemporâneo. E dissociar a internet da rotina de estudos de crianças ou adultos é praticamente impossível atualmente. Diante deste cenário, o ensino à distância vem ganhando cada vez mais adeptos.

As chamadas aulas virtuais apresentam perdas e ganhos. Educadores defendem que o ambiente de sala de aula é válido e importante porque, justamente nesta pluralidade, aprende-se com as percepções, erros e acertos coletivos. Como uma das principais características do ensino à distância é o seu caráter individual, a troca de experiências entre os estudantes acaba não acontecendo. 

Mas se por um lado perde-se os benefícios deste ambiente plural, por outro o ensino à distância apresenta facilidades compensatórias.

Vantagens do ensino à distância

A aula particular tem um propósito bem específico, que é atender a necessidades focadas ou especiais dos alunos. Há pessoas que não se adaptam às metodologias e abordagens do ensino tradicional. 

"Já tive alunos que chegaram a mim e disseram que haviam estudado em cinco escolas de idiomas diferentes e que não conseguiram aprender. Inicialmente, pensei que o problema, então, era a falta de talento para línguas, mas me surpreendi com o resultado da aula individual não-tradicional", conta a professora de inglês Adriana Barreiros.

Crianças não precisam se deslocar da casa aos cursos quando têm aulas á distãncia.


Adriana leciona há quase 30 anos em uma das maiores redes de ensino de inglês do país, mas sempre deu aulas particulares também. Atualmente, com a possibilidade do ensino à distância, aumenta sua rede de alunos. A professora é uma das entusiastas do método de ensino virtual e acredita que há muito mais ganhos que perdas nas aulas por internet.

"Posso dar aulas para pessoas que estão fora do meu alcance físico, como, por exemplo, um aluno que tenho em Angola e outro na Arábia Saudita, ambos brasileiros. Uma outra vantagem enorme nesta época de horários apertados e trânsito louco, a aula à distância permite a mim e a meus alunos usarmos horários que seriam impeditivos, caso houvesse de necessidade do deslocamento", conta Adriana.

Segundo especialistas, as perdas no ensino à distância estão ligadas às variantes externas: conexões instáveis, falta de energia. Em termos de assimilação de conteúdo, não existiria diferença entre a aula física e a virtual. 

Há mais de 25 anos sendo tutora e coach de inglês empresarial e ESP (English for Special Purposes), Adriana Barreiros defende que o conteúdo e a forma com que transfere-se conhecimento aos  alunos - e como eles absorvem o aprendizado - é muito semelhante, independente do suporte usado. 

Propósito específico

Há também o caso de pessoas que precisam aprender algo com um propósito muito específico. Neste caso os alunos atingem melhores resultados em aulas particulares, que podem ser ainda mais vantajosas se feitas virtualmente, deviso à praticidade do ensino à distância.

No caso de línguas, há pessoas da área médica que precisam aprender palavras determinadas e jargões. No caso das crianças, muitos pais têm preferido lançar mão do ensino à distância para aulas de reforço. Foi o caso de Gabriela Bittencourt, arquiteta, mãe de gêmeos de 12 anos. 

Como trabalha em casa, levar os filhos até a educadora seria um transtorno. "Quando o professor me disse que poderia fazer as aulas por skype, achei que não daria certo. Mas foi impressionante a capacidade de adaptação das crianças. O computador é um universo com o qual estão familiarizados. O resultado do aprendizado me surpreendeu", diz Gabriela.

Quebrando a rotina

A nota das crianças aumentou na escola, sem precisar que a rotina da família fosse comprometida. Para a professora Adriana Barreiros, o aluno de ensino à distância responde bem aos estímulos de aprendizado porque tanto suas limitações quanto as habilidades podem ser melhor trabalhadas. E funciona tanto para a educação infantil, quanto para jovens e adultos.

Seja por questão de tempo, timidez ou outras dificuldades com o ensino tradicional, o ensino à distância acaba quebrando a rotina e, com isso, o aluno fica mais motivado. No caso dos filhos da arquiteta Gabriela Bittencourt, foi exatamente o que aconteceu. "Os meninos entendiam a hora da aula como um momento para conversar sobre matemática por skype", conta a arquiteta.

"Quando o aluno vê seu problema respeitado, ele relaxa e aprende com mais eficiência. Aprender, ao invés do que se prega, é um ato absurdamente emocional. Se você retira determinada pressão dos ombros do aluno, ele se sente mais confortável e mais confiante para aprender", explica a professora. 

Copyright foto: iStock

Publicado por . Última modificação: por oRedacao.

Este documento, intitulado 'Educação à distância pode dar certo?', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o A Revista Da Mulher (https://arevistadamulher.com.br/) ao utilizar este artigo.
Adicionar comentário

Comentário

Comentar a resposta do usuário anônimo