1
Obrigado

Algumas palavras de agradecimento nunca são demais.

Calendário de vacinação: saiba quais são as vacinas recomendadas às crianças

Para garantir imunização contra diversas doenças é preciso seguir o calendário de vacinação recomendado por médicos e pelo Ministério da Saúde 

Calendário de vacinação deve ser seguido á risca para evitar doenças em crianças.


A ciência está sempre em busca de estudos para encontrar vacinas contra doenças e epidemias. Muitas dessas doses de imunização já foram aprovadas e podem ser administradas até em recém-nascidos. E para não deixar as crianças contraírem doenças sérias, ou até algumas que já foram erradicadas, o Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde, oferece um programa de imunização infantil, com dosagem de vacinas que começam já nos primeiros meses de vida do bebê.

Em janeiro de 2016, foram feitas algumas alterações nesse calendário de vacinação nacional. Mudaram dosagem, faixa etária ou espaçamento entre as doses. Por vezes algumas vacinas são incluídas no calendário de vacinação da saúde pública em função de ocorrências de algumas doenças, caso das dose contra a influenza, após registros de casos da gripe H1N1.  

Também é sempre recomendado conversar com o pediatra a fim de confirmar se são necessárias doses de imunização que não se encontram no calendário de vacinação oficial do governo. Sem contar que os médicos podem orientar os pais sobre possíveis reações das vacinas, como febre ou alergias. 

Veja a seguir o calendário de vacinação recomendado para as crianças, classificado pelas principais vacinas, idade da imunização e doses recomendadas. As informações são baseadas no Programa Nacional de Imunizações (PNI) e na recomendação da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP). 

BCG – Tuberculose 

Ao nascer: dose única. 

Hepatite A

15 meses: dose única (pode ser administrada até os 23 meses da criança).

Hepatite B 

Ao nascer: 1ª dose

DTP/DTPa 

Contra difteria, tétano e coqueluche (tríplice bacteriana).
2 meses: 1ª dose
4 meses: 2ª dose
6 meses: 3ª dose
15 meses: 5ª dose (1° reforço)
4 anos: 6ª dose (2° reforço)

Hib

Vacina que protege contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e haemophilus influenzae b (conjugada). 
2 meses: 1ª dose
4 meses: 2ª dose
6 meses: 3ª dose

OBS: Há uma quarta dose que não é disponibilizada pelo Ministério da Saúde, mas pode ser aplicada em clínicas particulares aos 15 meses, caso o pediatra recomende.

VIP/VOP 

Imunização contra poliomielite.
2 meses: 1ª dose 
4 meses: 2ª dose
6 meses: 3ª dose 
15 meses: 4ª dose (reforço)
4 anos: 5ª dose (reforço)

Pneumocócica conjugada  

Faz parte do calendário de vacinação a imunização contra uma das doenças respiratórias mais perigosas: a pneumonia.
2 meses: 1ª dose
4 meses: 2ª dose 
12 meses: 3ª dose (reforço)

Meningocócica conjugada (Meningite)

3 meses: 1ª dose
5 meses: 2ª dose
12 meses: 3ª dose (reforço que pode ser administrado até os 4 anos)

SRC/SCRV 

Tríplice e quádrupla viral (contra sarampo, caxumba, rubéola e varicela).
12 meses: 1ª dose
15 meses: 2ª dose

Febre amarela

Essa vacina é recomendada quando as crianças moram ou vão viajar para áreas com recomendação da vacina.
9 meses: 1ª dose
4 anos: 2ª dose (reforço)

HPV 

Meninas de 9 a 13 anos: 2 doses com intervalo de 6 meses 

Influenza (contra gripe)

A vacina contra a gripe é indicada para todas as pessoas a partir dos 6 meses de idade, com uma dose anual. A vacinação de crianças com idade inferior a 9 anos deve ser feita em duas doses, com intervalo de 1 mês. 

Rotavírus

Faz parte do calendário de vacinação a imunização de crianças contra a infecção pelo rotavírus, causador de diarreia e vômitos que podem levar à desidratação grave. 
2 meses: 1ª dose
4 meses: 2ª dose

Copyright foto: iStock

Publicado por . Última modificação: por oRedacao.

Este documento, intitulado 'Calendário de vacinação: saiba quais são as vacinas recomendadas às crianças', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o A Revista Da Mulher (https://arevistadamulher.com.br/) ao utilizar este artigo.
Adicionar comentário

Comentário

Comentar a resposta do usuário anônimo