3
Obrigado

Algumas palavras de agradecimento nunca são demais.

Gravidez psicológica: conheça causas e tratamento do distúrbio

Interrupção do ciclo menstrual e aumento do ventre são alguns sintomas da gravidez psicológica, distúrbio psicossomático originado pela frustração com a infertilidade.

Gravidez psicológica: doença funcional causada por fatores emocionais.


Pseudociese é o nome científico que se dá ao distúrbio popularmente conhecido como gravidez psicológica. O quadro desta doença funcional, causada por distúrbios psíquicos-emocionais, é baseado em sintomas idênticos aos de uma gravidez real. Interrupção do ciclo menstrual e aumento do ventre são os mais comuns.
 
De acordo com especialistas, a glândula adeno-hipófise, localizada na base do cérebro, estaria envolvida nos sintomas corporais que caracterizam a pseudociese. A chamada gravidez psicológica é, portanto, uma reação química do organismo a distúrbios de ordem emocional. 
 
“O funcionamento desta glândula é afetado por fatores emocionais e leva a mulher a parar de menstruar. Também é comum a distensão do intestino por gazes, que dá o aspecto de barriga de grávida. E até as tão frequentes dores nas costas em grávidas podem aparecer”, explica o médico ginecologista e obstetra Marino Pravatto Júnior.
 

Causas da gravidez psicológica

Embora este tipo de distúrbio ocorresse mais frequentemente no passado, quando os exames para detecção de gravidez eram menos acessíveis, estima-se que a cada 22 mil gestantes, uma esteja sofrendo de gravidez psicológica. O número é pequeno, mas as causas ainda têm origens semelhantes.
 
O Dr. Marino Pravatto conta que, no passado, era comum deparar-se com casos extremos de gravidez psicológica nos hospitais. “Havia pacientes que chegavam com abdômen inchado, muitas apresentando dores como se estivessem entrando em trabalho de parto”, conta o médico.
 
Segundo o especialista, hoje em dia é muito difícil uma mulher não se submeter a um exame de ultrassom logo nos primeiro meses. E assim detectar que ali não há um feto. Exames de sangue e urina também não eram tão acessíveis e a gravidez psicológica acabava se estendendo.
 
Com a popularização de exames outrora sofisticados e acesso fácil aos testes de farmácia, o quadro mudou. “Mas ainda é difícil contar a uma mulher com gravidez psicológica que ela não está gerando uma criança”, comenta Marino Pravatto Júnior.
 
A medicina avança, mas as dores emocionais de cada indivíduo costumam ser semelhantes. Entre as causas mais comuns da gravidez psicológica encontram-se:
  • A perda de um filho;
  • Um aborto espontâneo;
  • Uma doença grave que tenha deixado a mulher infértil;
  • A simples descoberta que ela não pode mais ter filhos;
  • Estar em uma relação difícil, de dependência emocional na qual há pressão do parceiro em ter filhos.

Tratamento da gravidez psicológica

Primeiro é preciso fazer toda a investigação através de exames de ultrassonografia, sangue e urina. Verificado que a mulher não é gestante, o ideal é que o tratamento seja sempre acompanhado por especialista  em doenças psiquiátricas.
 
“Em geral, as pacientes com gravidez psicológica apresentam um padrão de distúrbio psicótico. Mas também pode ser apenas uma mulher sem esse padrão, que tenha sofrido algum trauma. Em ambos os casos, a terapia é recomendada", reforça o ginecologista e obstetra.
 
Para um tratamento eficaz, “é preciso que a mulher conheça as causas emocionais que desencadearam a gravidez psicológica", completa a terapeuta de família Helena Monteiro.
 
Copyright foto: iStock

Publicado por . Última modificação: por oRedacao.

Este documento, intitulado 'Gravidez psicológica: conheça causas e tratamento do distúrbio', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o A Revista Da Mulher (https://arevistadamulher.com.br/) ao utilizar este artigo.
Adicionar comentário

Comentário

Comentar a resposta do usuário anônimo