0
Obrigado

Algumas palavras de agradecimento nunca são demais.

Labirintite: entenda as principais causas e saiba como tratar

Aquela tontura que parece simplesmente um mal-estar pode indicar a presença da labirintite, por isso é bom ficar atenta aos sintomas

A doença pode ser uma decorrência de outros problemas.


Sentir tonturas, náuseas e ter a sensação de que vai desmaiar pode ser bem mais do que um simples mal-estar. A labirintite pode ser a responsável por estes sintomas sem que a pessoa saiba. De acordo com o otorrinolaringologista Rodrigo Pêgo, quem sofre de labirintite aguda pode sentir na crise essa sensação de rodopio por minutos ou até horas. 

"As crises costumam se manifestar após os 40 ou 50 anos de idade, e podem ser desencadeadas pela redução da quantidade de sangue circulando nas áreas do cérebro e do labirinto", explica Rodrigo Pêgo, que é membro da Associação Interamericana de Otorrinolaringologia Pediátrica (IAPO, na sigla em inglês) e da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCF).

O especialista afirma que a labirintite é uma das labirintopatias, que são doenças que afetam a estrutura do ouvido interno que recebe, codifica e transmite informações para o cérebro sobre os sons e os deslocamentos do corpo. 

Causas da labirintite

Rodrigo Pêgo destaca que existem mais de 300 causas já encontradas para a lanirintite, estando entre os principais fatores de risco a diabetes, hipoglicemia, hipertensão, estresse, ansiedade, uso de alguns medicamentos, café, fumo e álcool, por exemplo. 

A doença pode ainda resultar de outros problemas do corpo, como explica o especialista. “Processos inflamatórios, infecciosos, tumorais, doenças neurológicas e até alterações genéticas podem levar ao desenvolvimento da labirintite”, ressalta.

Ainda de acordo com o especialista, o diagnóstico da labirintite é feito por meio de avaliação clínica, aliada a  exames específicos, principalmente pelo fato de que os sintomas são muito semelhantes aos de outras doenças. É essencial verificar como estão os níveis de ácido úrico do sangue, o colesterol e também o triglicérides.  

Outros exames mais profundos podem ser solicitados pelo médico. "Em alguns casos, pode ser necessário fazer uma ressonância magnética e tomografia computadorizada", destaca.

Como tratar e evitar a labirintite

O mais comum é que a labirintite desapareça sem a necessidade de um tratamento, mas pode levar até semanas para que isso aconteça. Apenas um especialista poderá identificar o problema e indicar a melhor forma de tratar a doença. No caso de crises mais agudas, o objetivo da intervenção médica é reduzir os sintomas

Nos casos em que a labirintite é causada por uma infecção bacteriana, o tratamento deverá ser feito com antibióticos, o que fará com que os sintomas desapareçam rapidamente. Quando se trata infecções virais, o médico deverá prescrever medicamentos como antihistamínicos, corticoides, drogas que possam controlar náusea, vômitos e a tontura, entre outros.

Ainda de acordo com o otorrinolaringologista, além da medicação específica prescrita pelo médico especialista, é importante que o paciente adote hábitos mais saudáveis, como forma de evitar que o problema volte. 

“É recomendável optar por uma dieta saudável com intervalos curtos entre uma refeição e outra, ingerir bastante líquido, praticar atividades físicas, evitar bebidas gaseificadas e alcoólicas, e parar de fumar. É essencial evitar dirigir nas crises e enquanto estiver tomando os medicamentos”, conclui.

Copyright foto: Istock

Veja também

Publicado por . Última modificação: por oRedacao.

Este documento, intitulado 'Labirintite: entenda as principais causas e saiba como tratar', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o A Revista Da Mulher (https://arevistadamulher.com.br/) ao utilizar este artigo.
Adicionar comentário

Comentário

Comentar a resposta do usuário anônimo