0
Obrigado

Algumas palavras de agradecimento nunca são demais.

Conheça quais são os tipos de lutas ideais para modelar o corpo feminino

Cada vez mais as mulheres vencem o preconceito e praticam modalidades de luta para alcançar maior bem-estar e modelar o corpo

É hora de vencer o preconceito, escolher uma modalidade e ir à luta!


Já se foi o tempo em que se pensava que as lutas eram para ser praticadas por homens e que às mulheres cabiam os exercícios considerados mais ‘leves’, que não ‘masculinizassem’ o corpo feminino. Hoje se tem consciência de que as lutas podem definir o corpo, fortalecer os músculos e proporcionar diversos benefícios às mulheres que as praticam.

Para o instrutor de lutas Luciano Romão, se as mulheres soubessem o que a prática de uma luta pode fazer pelo corpo, certamente não deixariam nunca mais de lutar. Essas modalidades “aumentam a força, a resistência, definem os principais músculos, queimam gorduras – inclusive as localizadas – ajudam a ter mais disciplina e disposição para as atividades do dia, aliviam o estresse e ainda podem gerar um fator importante de defesa pessoal”, explica.

Tipos de lutas para as mulheres

Não existe restrição alguma em relação ao tipo de luta que as mulheres podem praticar. Os fatores que determinam qual modalidade será escolhida estão mais ligados aos objetivos pessoais e aos cuidados em caso de limitações físicas. 

Veja abaixo os tipos de lutas que mais ajudam a modelar o corpo feminino: 

Boxe

Por ser uma luta de muita movimentação, o boxe trabalha principalmente os músculos dos braços e pernas, contribuindo bastante também para fortalecer e definir toda a região do abdômen e afinar a cintura. A queima calórica fica em torno de 700 kal por aula.

Muay thai

Trata-se de uma modalidade que possibilita uma grande queima calórica (cerca de 800kal por treino), desde o aquecimento que antecipa a luta e também durante a execução de cada golpe. Muay thai é uma luta que favorece o trabalho das pernas e dos glúteos, além da parte central do tronco e abdômen. 

Karatê

Esta é uma modalidade que favorece tanto o fortalecimento do corpo como da mente, pois tem como princípios a disciplina, o equilíbrio físico e mental, além de exigir muita concentração. Trabalha o corpo de forma geral, contando também com um gasto calórico interessante (800kal por aula).

Capoeira

É certo que esta modalidade é a mais completa e também a que mais faz pelo corpo. Todas as acrobacias e o gingado exigidos pela capoeira aumentam a flexibilidade do corpo, principalmente das pernas, com um fortalecimento global do corpo. O aumento do equilíbrio corporal, do ritmo e o gasto calórico (800kal por aula) também devem ser destacados. 

Jiu-jitsu

O fato de que esta luta é praticada em sua maior parte no chão – para imobilizar o oponente – contribui de maneira significativa para o fortalecimento muscular e melhorias no condicionamento. A necessidade de dominar a técnica, mais do que ter força, faz com que esta modalidade melhore a concentração, a resistência e ainda queima em média 1000kal por aula. 

Judô

Uma vez que o foco é derrubar e imobilizar o adversário, o judô proporciona o aumento da força corporal, principalmente dos braços e tronco, melhorando também a resistência. O judô também promove a disciplina, além de promover uma queima calórica de até 800 kal por aula. 

É importante lembrar que algumas das práticas de lutas exigem o uso de equipamentos de proteção e, sempre, o acompanhamento de um profissional. “O instrutor de luta está preparado para orientar a aluna sobre o que deve ser utilizado e, também, o que não pode durante a luta. Para as mulheres, de maneira geral, orientamos manter as unhas aparadas, manter os cabelos presos e nunca treinar com brincos e acessórios”, afirma Luciano Romão. 

Copyright foto: iStock

Publicado por . Última modificação: por oRedacao.

Este documento, intitulado 'Conheça quais são os tipos de lutas ideais para modelar o corpo feminino', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o A Revista Da Mulher (https://arevistadamulher.com.br/) ao utilizar este artigo.
Adicionar comentário

Comentário

Comentar a resposta do usuário anônimo