0
Obrigado

Algumas palavras de agradecimento nunca são demais.

Brasil teve mais de 1,9 milhão de casos de dengue, chikungunya e zika em 2016 

Boletim divulgado pelo Ministério da Saúde também informa que os três vírus transmitidos pelo mosquito Aedes aegypti mataram 734 pessoas apenas neste ano

Mosquito Aedes aegypti é o transmissor da dengue, zika e chikungunya.


Um balanço divulgado nesta quarta-feira (14) pelo Ministério da Saúde revela que o Brasil teve mais de 1,9 milhão de casos de dengue, chikungunya e zika só em 2016. O boletim, que levou em conta todos os casos notificados até o dia 28 de novembro, mostra ainda que 734 pessoas morreram neste ano em decorrência dos três vírus transmitidos pelo mosquito Aedes aegypti.

Ao todo, o país registrou 1.475.940 casos de dengue, 259.928 casos de chikungunya e 210.897 casos de zika, totalizando 1.946.765 pessoas contaminadas com as doenças. Os números alarmantes apontam que 2016 é o segundo ano com o maior número de casos de dengue na história, atrás apenas de 2015 – quando foram registradas 1.649.008 ocorrências do vírus.

Identificado no Brasil em 2014, o chikungunya teve um aumento de 727,3% no número de casos em comparação com o mesmo período de 2015. Já o zika, reconhecido pela primeira vez no Brasil em abril de 2015, cresceu em quase 120 mil casos apenas de abril até novembro deste ano – sendo 5% das ocorrências confirmadas em mulheres grávidas.

Em geral, os picos de ocorrência das três doenças acontecem entre os meses de fevereiro e março, período que corresponde à época das chuvas. Isso porque o acúmulo de água em diversos espaços acaba favorecendo o desenvolvimento no mosquito transmissor. Daí a importância de eliminar os focos do inseto, que pode contribuir para o combate aos vírus enquanto as vacinas contra as doenças não chegam ao sistema de saúde.


Copyright foto: iStock

Veja também

Publicado por . Última modificação: por oRedacao.

Este documento, intitulado 'Brasil teve mais de 1,9 milhão de casos de dengue, chikungunya e zika em 2016 ', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o A Revista Da Mulher (https://arevistadamulher.com.br/) ao utilizar este artigo.
Adicionar comentário

Comentário

Comentar a resposta do usuário anônimo